Uma obra sem precedentes

14/10/2010 12:51

Construir a maior usina hidrelétrica do país na época, com capacidade de gerar uma potência elétrica de 1.216 MW de potência, exigiu a contratação de profissionais estrangeiros, principalmente ingleses, e a importação de equipamentos da Itália, Suécia, Estados Unidos, Suíça, Canadá e Japão, mas também contou com a criatividade de operários brasileiros que ajudaram na resolução de muitos problemas técnicos de última hora.
Fábio Carvalho Alves, na época, empregado de uma pequena empreiteira chamada Mendes Júnior, trabalhou no núcleo de argila da barragem da usina e conta que não foram poucos os problemas enfrentados. "Deslocar equipamentos pesando cerca de 30 mil kg em balsas era muito difícil. Lembro do dia em que uma afundou com uma carreta de combustível e tive que usar escafandro sem nunca antes ter mergulhado", lembra.

Fábio, hoje aposentado, vive nas Escarpas do Lago, primeiro e maior empreendimento turístico do Lago de Furnas, que aprisionou 21 bilhões de metros cúbicos de água dos rios Grande e Sapucaí. A Mendes Júnior, cujo crescimento, em suas próprias palavras, se deve à construção da usina de Furnas, é uma das maiores construtoras do país.